23 de fevereiro de 2010

O que é "Placenta" e o que fazer com ela após o parto

“ A placenta é um órgão presente na maior parte dos mamíferos, através do qual ocorrem as trocas entre a mãe e seu filho. É formada pelos tecidos do ovo, embriologicamente derivada do córion. Através da placenta o bebê "respira" (ocorrem as trocas de oxigênio e gás carbônico), se "alimenta" (recebendo diretamente os nutrientes por difusão do sangue materno) e excreta produtos de seu metabolismo (excretas nitrogenadas). A placenta é também órgão endócrino importante na gravidez, envolvida na produção de diversos hormônios: progesterona, gonadotrofina coriônica (HgC), hormônio lactogênio placentário, estrogênio (principalmente o estriol), etc .

É um órgão incrivelmente precioso e completo, sendo também o único órgão “usa e joga fora” que temos. Representa as raízes da criança no terreno da mãe. É feita de dois organismos diferentes e incompatíveis, mas funciona como um único órgão, em completa harmonia. Faz todas as funções de um corpo humano. É o pulmão, fornecendo à criança o oxigênio e todas as trocas gasosas; é o coração, ajudando-a a movimentar a massa sangüínea e mantendo a circulação entre ela e a mãe; é o rim, depurando e regulando os líquidos em seu corpo; é o aparado digestivo, procurando e fornecendo comida; é a glândula endócrina, produzindo todos os hormônios necessários à manutenção da gravidez e ao crescimento da criança; é cérebro, guiando com inteligência o sistema informativo entre mãe e bebê, e elaborando todos os dados; é o sistema imunológico, fornecendo à criança anticorpos, linfócitos e macrófagos, as grandes células que podem destruir ou construir o tecido, os monstros tão temidos pelo embrião; é também a fonte do líquido amniótico e o renova a cada duas horas completamente.

A placenta é um órgão ativo, tem capacidade de bombear glicose e oxigênio para a criança, conforme suas necessidades. Até o nascimento faz parte integrante do corpo da criança, também na sua parte materna. A placenta conserva o grande segredo da contemporânea unidade e dualidade entre mãe e bebê.

No momento do nascimento, a placenta continua desenvolvendo todas suas funções, ajudando a criança a regular seu metabolismo e seu organismo até o ponto de equilíbrio; a partir daí ela pode seguir autonomamente. Quando os pulmões respiram, quando o coração consegue regular a circulação sozinho, quando a criança recebe açucares, substâncias nutritivas e anticorpos do seio materno, quando os ácidos produzidos pelo parto são descarregados e os rins da criança funcionam, então (e somente então) pode-se deixá-la. Naturalmente, se o cordão permanecer íntegro.

Quando a criança não precisa mais da placenta, não somente interrompe a comunicação, e, portanto a circulação, mas faz destacar a placenta do corpo materno e a faz expelir. Somente então é o momento para cortar o cordão umbilical.”

Nas diferentes culturas as mulheres encontraram formas de guardarem uma recordação desse orgão tão importante.

Algumas fazem um agradecimento por escrito, como esse texto maravilhoso que a Kathy escreveu no mamiferas: Carta a minha placenta.

Outras usam-na como adubo para uma nova arvore frutifera no quintal de casa e associam o nascimento do filho aquela arvore.

Outras pessoas fazem um quadro, usando o sangue da placenta como tinta para a impressão ou tintas de cores diferentes e conseguem fazer essa linda "arvore da vida".


Agora aqui uma novidade que encontrei num site americano, um urso feito com a placenta. Não é o máximo?!



De qual idéia vocês gostaram mais?
Qual delas você optaria para dar o fim a sua placenta?

Texto inicial retirado do site Morada da floresta.

1 comentários:

Kariny Balle disse...

Oiê! Legal mesmo esse post, hein? Indico pra vocês o post: "A Importância da Femina" (no blog Sinn-Klyss Expressão de Uma Mentalidade). Vocês são ma ra vi íííí lha ... Tchau!!!!

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!