30 de setembro de 2010

Cirurgia de apêndice no Japão (criança)

Foi em fevereiro desse ano, um momento muito difícil pelo qual passamos e que nunca vou me esquecer.

Meu Rafael, que tinha recem completado 6 anos, teve apendicite aguda.

Era uma manhã de sexta-feira, e como sempre, os meninos acordaram já pedindo o café da manhã. Rafael que é o mais comilão da casa, comeu seus dois pães e bebeu seu leite com chocolate, sem reclamar, eram 9 horas da manhã.

Na hora do almoço ele me pediu ovos cozidos e eu fiz, mas ele não quis comer quase nada, reclamou que a barriga estava doendo, que estava com a barriga cheia, e o Gabriel idem.

Fiquei brava por fazer a comida e ter que jogar fora e dei bronca nos dois. Logo eles foram brincar sem problema.

No lanche da tarde o Rafa comeu algumas bolachas e um suco, normalmente, mas ainda reclamando de uma dorzinha na barriga. (Quero aqui deixar claro que ele sempre reclama de dor na barriga, mas sempre perto do horário das refeições, ou seja, reclama de fome, por isso eu não dei muito atenção no dia)

Na hora da janta, ele estava comendo normalmente, sem reclamar e de repente vomitou. Um pouco, não muito, e eu pensei que uma virose estava começando. O marido estava saindo para o trabalho e eu disse para que não se preocupasse.

Depois disso ele ainda brincou mais um pouco, e depois foi dormir.

Na manhã seguinte ele acordou com diarréia, sem febre nem nada mais, dai eu comecei a administrar soro caseiro e líquidos e alguma fruta que ele quisesse comer.

Ele não teve muito apetite esse dia e evacuou várias vezes, mas eu estava acompanhando e vendo como estava, para não deixar desidratar e comecei a dar homeopatia para a virose também.

Do sábado para o domingo ele teve febre na madrugada, e o Gabriel também.

Pela manhã Gabriel teve diarréia, e conclui que a virose tinha pego os dois, fui administrando o soro e a homeopatia, e os alimentos que eles aceitassem.

No domingo a noite ele conseguiu comer um pouco, não vomitou e nem teve diarréia, apresentava sinais de melhora, Gabriel idem, então eu pensei que estivesse melhorando mesmo. Eu sabia que virose tem um pico no terceiro dia e em cinco ou seis dias, acaba de vez.

Segunda-feira ele brincou com o irmão, não apresentava mais febre, fez as três refeições, sem vomito, nem diarréia. Estava meio amuado e com a barriga estufada, pensei que pudesse ser verme também. Ele só reclamava que a barriga doía, não muito, um pouco.

Terça-feira ele voltou a ter febre e começou a diarréia novamente, não quis mais comer, nem brincar. Eu fiquei administrando o soro caseiro e a homeopatia, o marido estava trabalhando de dia e quando chegou a noite, o menino voltou a vomitar, foi então que o levamos para o PS.

No PS o médico apertou sua barriga e menino pulava de dor, não conseguia gritar porque estava bastante fraco, o médico disse que a dor era perto do baço e que teria que fazer ultrassom para ver direitinho o que era.

Como estava muito tarde, o pai ficou com ele e eu voltei para casa com as outras crianças para coloca-los para dormir.

Depois de vários exames, foi constatado que ele estava com apendicite aguda e seria feita uma cirurgia urgente, que seria as 10hrs da manhã da quarta-feira.

Meu marido me ligou as 5 da manhã para me contar e caiu em prantos, dizendo que o medico disse que nosso filho poderia morrer. (Aqui no Japão eles nunca preparam a gente para o "tudo vai dar certo" eles sempre dizem tudo que pode dar errado. Um horror!!!)

O pai estava cansado da noite toda e eu fiquei com o menino até o começo da cirurgia que durou aproximadamente 2 horas.

Era quase meio dia quando o médico me chamou e disse que tudo tinha dado certo e que meu filho já estava bem. Me mostrou as fotos do abdomen do meu filho aberto apontando os locais onde havia uma grave infecção que já havia tomado conta de quase todo o intestino. Eles tiraram tudo para fora, drenaram, retiraram o apendice e depois colocaram tudo para dentro de novo.

Vejam as fotos que o médico me deu:





Aqui a pinça segura o apêndice, que foi a parte que o médico retirou.












Esse é todo o intestino dele. Do lado direito dá para ver como estava infeccionado e bastante inchado.











Já depois da cirurgia do apendice, a foto um pouco mais perto da para ver o pus dentro do intestino. (Parte esbranquiçada que foi toda lavada com água quente e drenada.)







Depois da cirurgia meu filho já saiu reclamando que estava com dor no pipi (colocaram sonda) e que era para tirar aquele negócio de lá do pipi dele, tadinho.

Logo que chegamos no quarto já retiraram a sonda, mas ele queria beber agua e não podia. Teve que ficar 3 dias sem comer, nem beber absolutamente nada. Essa parte foi muito dura porque ficávamos em quartos conjuntos e ele via o tempo todo as pessoas comendo e bebendo e me pedia só um pouquinho, mas eu não podia dar, só passava um paninho úmido em seus lábios e deixava ele escovar os dentes, mais nada.

Depois do terceiro dia, tomando soro e antibióticos, sentindo as dores da cirurgia, ele pode comer, os irmãos foram visitá-lo no hospital, brincaram juntos, foi uma festa, no quarto dia, retiraram o pano que recobria os pontos, ele fez uma limpeza e pode tomar banho.

No quinto dia o médico retirou 3 grampos (aqui no Japão não são pontos com linha, são grampos de grampeador, outro horror! E o retirou também o dreno que servia para "puxar" o restante do pus.

No sexto dia, retirou os outros 3 grampos e o soro. Ufa! O menino pode andar livre e solto pelos corredores.

No sétimo dia pela manhã recebemos alta. Ele fez exame de urina e sangue e fomos para casa, era quinta-feira de manhã.

Voltamos na segunda-feira para mais uma kensa e estava tudo bem.

O médico disse que poderia fazer tudo o que quisesse, correr, brincar, pular, sem medo e que ele estava muito bem.

Que no futuro ele pode ter algum problema no intestino, quando for maior de idade, e que portanto, a qualquer sinal de dor forte, vomito e diarreia, procurasse o hospital mais próximo.

Deixo aqui meu muito obrigada ao Dr. S. Yanagisawa mais uma vez, pela sua atenção e delicadeza e também por saber falar inglês tão bem. Me ajudou muito! =)

Ele trabalha na Jichi Medical University, um medico exepcional que Deus colocou em nossas vidas.

Algumas considerações:
- A causa da apendicite do meu filho foi uma semente de cereja, acreditem se quiser. O médico me mostrou quando terminou a cirurgia. Ela estava entupindo o canal do apêndice. =(
- Aqui a incisão da cirurgia é na vertical, e eu não sei porque já que no resto do mundo é na horizontal e já ta mais do que explicado dos benefícios da incisão horizontal, ainda não achei evidência do porque eles fazem cirurgias na vertical, se alguém ai souber me fale por favor.
- As enfermeiras foram muito prestativas e atenciosas, mesmo eu não sabendo falar quase nada, me ajudaram muito.
- Eu ainda acredito na homeopatia como primeiro recurso, mas agora sou mais cautelosa com os sintomas, aprendi uma lição valiosa com tudo isso.
- A ligação entre o Gabriel (menor) e o Rafael (maior) é tão forte, tão grande, tão linda, que o menor ficou com os mesmos sintomas do irmão e até hoje é assim, se o mais velho fica doente o mais novo tem os mesmos sintomas. Eu acho isso muito interessante.

12 comentários:

Manuela disse...

Opnião de mãe brasileira que mora numa cidade do RJ no Brasil:
Vc tem sorte de estar aí!
Se fosse aqui seu filho seria tratado como carniça!
EU levei meu filho , há 1 mes, pra emergencia com febre ], muito mal, quando cheguei lá teve que ficar internado: pneumonia
ele sofreu lá. Só foi analizado por médicos quando ameaçamos levar ele embora dali do jeito que tava!
EU sou celiaca e tive que ouvir da nutricionista do hospital que ela sentia muito , mas o hospital não tinha como fornecer refeições pra mim, que estava acompanhando meu filho, pois não tinha alimentos sem glúten! (lembrando que hoje é enorme a quantidade, principalmente de crianças, com alergias alimentares, e o hospital não tem como receber essa parcela da população!)
O médico te explicou tudo direitinho, deu fotos da cirurgia e explicou o que eram, mostrou a causa do problema, alertou das conseqüências futuras que o problema poderia causar!
Meu filho levou 2 anos pra ser diagnosticado com bronquite! Poderia ter morrido de pneumonia pela falta de competência dos medicos, e até hoje eu só sei como trata-lo pq eu pesquisei na internet como faze-lo, pq medico nenhum explicou direito o que é e as conseqüências da doença!
Eu pagava um plano de saúde carissimo pro meu filho, parei de pagar por que o atendimento publico e particular aqui estão exatamente iguais! E ambos com péssima qualidade. Não vale a pena pagar pra ser mau atendido.
Aqui a familia é o mais afastada possível durante a internação. Mal pode ficar 1 acompanhante com a criança. Nem nos melhores hospitais particulares criança pode entrar pra visitar. É raro achar um hospital que permita isso!
graças a Deus vcs estão aí!
Gostei do seu relato pois explicou bem como uma coisa tão pequena como a semente de cereja pode causar um problema desses. E como os sintomas nos enganam! E mostrou a diferença gritante do Brasil, onde pagamos caro pra ser cidadãos, pra um país civilizado!
Bjs

Manuela disse...

ah, esqueci de um detalhe: meu filho entrou no hospital com pneumonia e sai de la com catapora!

Bia Ferraz disse...

É assustador ! Mas ainda bem que vc logo foi atendida e o pequeno se saiu super bem.
Eu já tive apendicite(qdo adolescente),me lembro da dor ser descomunal,eu mal conseguia andar.Vc sabe se em crianças é sempre com os mesmos sintomas que vc descreveu ?
E muito obrigado por compartilhar.

Rosana Oshiro disse...

Bia, pelo que eu pesquisei na internet os sintomas são sempre esses mesmo.
O estranho foi ele não reclamar e nem chorar pela dor. Só dizia que a barriga tava doendo um pouco.
O raquitismo logo se fez presente também, eu esqueci de comentar, ele perdeu uns 3 kgs nos 5 dias em casa e a barriga ficou bastante inchada.
Basicamente foi isso!
beijo

Rosana Oshiro disse...

Manuela, o Brasil tem seus prós e contras.
Aqui no Japão por exemplo não existe saude publica para ninguem, todo mundo paga seguro-saude e sabe, nem todo lugar o atendimento é tão bom, por isso eu disse que Deus tomou conta do nosso caso.
Sobre a bronquite do seu filho, vc ja procurou um bom homeopata?
Meus filhos tinham bronquite quando pequenos e tratei com homeopatia por um mês.
Ninguém tem mais nada aqui em casa.
Procure se informar e fuja a alopatia (remedios convencionais que contem corticoide) porque só destroi o organismo da criança, deixa ela dependente do remedio para o resto da vida e a industria farmaceutica ganha enquanto seu filho e vc só perdem. Pesquise e se informe porque tem solução barata, rapida e eficaz viu?
um beijo

╰☆╮F®ÅNciєℓyღ εїз* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Erika disse...

Rosana eles fazem o corte na vertical por ser mais rapido, pois e na posição dos nossos musculos e nervos, na horizontal o medico tem que cortar os musculos e esse processo demora um certo tempo, e a cicatrização na vertical tambem e mais rapida.
Pelo menos foi o que o meu medico me explicou quando foi agendar minha cesarea.
Com realação aos pontos com grampos varia de hospital para hospital, onde eu ganhei minha bebe não utilizam esse metodo, e minha cesarea foi com ponto de plastica, e a meu pedido na horizontal.
bjs e boa sorte ai

ana isabel disse...

Oi Rosana

Eu tambem tive apendicite, tinha onze anos. Os sintomas foram muito parecidos, vomitos, não tive diarreia.
Um pouco de febre.
Uma dor desconfortavel, mas a dor depende da percepção de cada um. Era mais forte do lado esquerdo. E passava quando eu ficava sentada.
No segundo dia, eu me sentia bem melhor, mas mesmo assim, meus pais me levaram no Hospital.
Ja havia ido no posto de saude, mas o medico de la disse que precisava de mais tempo para diagnosticar melhor.
Foi uma cirurgia de emergencia, segundo eles o apendice ja estava passando a inflamação para os outros orgaos. Ah, sim, e a "culpada" teria sido uma semente de uva.
O pos-operatorio foi bem semelhanta ao que comentas, a unica diferença é que como foram pontos o médico só liberou exercicio fisicos depois de 2 meses.
Hoje em dia, aqui no Brasil,a cirurgia de apendicite é considerada ambulatoria, e a pessoa volta para casa no mesmo dia.

Aika disse...

Obrigada por compartilhar conosco sua estoria e espero que Rafa continue com essa saude de ferro!
Agora la vem a pergunta da "gonorante" aqui..rssss...tenho que tomar cuidado com sementes?Ouco muitos relatos de apendiceXsemente,agora fiquei com medo de dar frutas com semente pro Breno...ele engole algumas...Ou sera paranoia a minha?
Kelly Yamada.

Rosana Oshiro disse...

Kelly, qualquer pedacinho de qualquer coisa pode causar apendicite, até sementes de uva ou pedacinhos de unha. Uma amiga enfermeira me disse que até as fezes se entrarem no apendice ou vermes também.

O apendice é hoje um orgão obsoleto que só serve para causar apendicite e ser operado, não adianta encanar viu? Seu filho pode ou não ter e não depende só de sementes.

Eu quis fazer o relato mais para que as mães fiquem atentas aos sintomas se ocorrer com um de seus filhos.

Beijos

José Furtado disse...

Bem, eu já tive apendicite já grande (desculpem se estou mudando o foco de criança para adulto) porém, as dificuldades em diagnosticar foram as mesmas! Fui três vezes ao PS e a dor era tão somente (no inicio) uma dor abdominal na parte superior... não tive dor na perna ou no lado direito.. já na terceira vez que fui a urgencia aí sim todo o abdomen estava dolorido e já andava encurvado. Outro detalhe é que nos exames de sangue que fiz em nenhum deles apresentava alteração suficiente que indicasse infecção! Após um ultrassom foi detectado a apendicite. A cirurgia foi marcada com urgencia (detectaram 0h e já não pude sair do hospital) e foi feito laparoscopia (01 furo no umbigo e dois nas laterais) de forma que não fiquei com cicatriz. Após alguns dias fui visitar um medico conhecido e falei da cirurgia, então ele pediu que fosse ao hospital e pedisse a biopsia da apendice, achei estranho mas ele falou que geralmente se faz para detectar o que causou (pois pode ter sido algo simple ou algo mais complexo como um cancer) fui ao hospital e no laboratorio de fato havia o laudo e graças ao Bom Deus não diagnosticava origem maligna. Achei interessante compartilhar pois pode ajudar alguns leitores. Um abraço as todos.
José Furtado (São Luis-MA-BR)

Alessandra Pedroso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!