6 de janeiro de 2011

Porque NÃO induzir o parto?

Final de gravidez, a ansiedade bate forte, o cansaço toma conta e tudo o que a gente quer é se ver livre do peso da barriga, dos palpiteiros de plantão que ficam falando o tempo todo "como você engordou", "como sua barriga tá baixa", "para quando é o bebe?" "não tá passando da hora", "vai ser normal?" "é melhor cesarea para não passar da hora né?" "é melhor cesarea para não passar por todo aquele sofrimento né?" e bla, bla, bla...

Eu sinceramente, me canso mais com os palpites e histórias "sem noção" do que com o cansaço físico em si.

As pessoas poderiam ter um pouquinho de consciência e ao invés de falar tanta besteira oferecerem suporte a mulher grávida, convidar para um chá e um bom bate-papo, assistir um filme, falar besteiras (que nós mulheres adoramos...rsss), fazer umas caminhadas ou uma boa massagem relaxante, tudo isso ajudaria tanto e seria tão agradável não?

Bom, o fato é que a gente tem que muitas vezes fazer cara de "paisagem", sorrir e seguir em frente sem se deixar levar pelos comentários, pela ansiedade e pelo medo que tudo isso possa nos causar.

Claro que toda mulher que espera seu bebê, quer recebê-lo em seus braços tranquilamente, na hora certa, mas muitas vezes, o stress que a gente passa no final da gestação faz com que a gente acabe implorando ao médico por uma indução do parto para acabar logo com tudo isso.

Só para lembrar aquelas que não se recordam ou não sabem, uma gravidez saudável pode levar 38 a 42 semanas, que é totalmente normal. Toda mulher entra em trabalho de parto nesse período, salvo raríssimas excessões, e bebês não passam da hora como um "bolo esquecido no forno".

Sobre esse termo "passou da hora", as pessoas começaram a usá-lo porque algum médico esperto, para se livrar da responsabilidade de ter feito um mal acompanhamento de pré-natal no final da gestação ou na hora do parto, arrumou uma explicação ilógica para as mães desinformadas, mas que livrou ele da culpa, e disse que o bebê morreu porque passou da hora.

Quando a mãe entra na 40ª semana ela precisa de um acompanhamento mais aproximado. Não é necessário exame de toque ou monitoramento fetal contínuo, mas examinar a quantidade do liquido aminiótico, a pressão arterial da mãe, o fluxo de sangue da placenta e a movimentação do bebê são os exames mais básicos. Se está tudo normal, pode-se esperar até as 42 semanas sem preocupações.

Outra coisa é que, tirando raras excessões, a mulher não tem dilatação sem entrar em trabalho de parto. A dilatação só começa quando as contrações começam. Se não há contração, não há dilatação. Então não é necessário fazer exames de toques em todas as consultas. O exame só serve para deixar a gente ansiosa e com medo de não dilatar, o que também é outro mito, porque toda mulher dilata.

Agora, se está tudo bem com a mãe e o bebê, induzir o parto porque?

A indução com ocitocina sintética faz com que a dor das contrações seja muito mais forte e muito mais intensa e demorada do que uma contração natural. Causa stress materno e atrapalha muito o processo de trabalho de parto e só deve ser usada em casos específicos, quando a mãe entrou em trabalho de parto mas não está tendo contrações suficientemente fortes para o processo progredir. Também não é necessário que seja administrada o tempo todo, quando as contrações estiverem regulares o suficiente, a indução pode ser retirada.

Para a mulher que teve uma bolsa e o trabalho de parto não progrediu após 12 horas, geralmente os médicos utilizam indução também, além de aplicação intravenosa de antibiótico para o caso de uma infecção, porém cada caso é um caso. Se o liquido está claro e não tem mecônio, e se a mulher não teve o exame de strepto positivo, pode-se esperar mais tempo antes de uma indução com ocitocina sintética. Nesse caso deve-se evitar banho de imersão, mas pode-se utilizar ducha, fazer exercícios, tomar chá de canela, comer uma comida mais apimentada, porque tudo isso pode ajudar o processo do parto "engrenar" mais rapidamente.

Para ilustrar um pouco melhor como funciona o trabalho de parto com e sem ocitocina, eu fiz a tabela abaixo:


A minha intenção com essa tabela é uma só: Fujam de uma indução só pela ansiedade!!!

Vai ser mais dolorido, pode causar complicações no parto, aumenta a probabilidade de ruptura uterina, aumenta a probabilidade de episiotomia, aumenta as chances de stress materno e fetal e todos os riscos em potencial.

Quer um parto tranquilo, rapido e bom para você? Então comece desde agora a respeitar o tempo do seu filho, do seu corpo e da natureza, que as chances desse bom parto acontecer são bem grandes.

Se for preciso, evite atender telefonemas indesejados, durma quando tiver vontade (depois que o nene nasce fica mais dificil), relaxe, curta a barriga, tome banhos mais longos, assista bons filmes e aproveite esse tempo especial para cuidar de você por dentro e por fora, isso vai ajudar muito na hora do parto.

Eu acredito que o maior aprendizado da maternidade é respeitar o tempo dos nossos filhos sem querer atropelar as fases, e o melhor momento de começar aprender é quando se está esperando a hora DELE decidir nascer.

Aceito comentários, críticas, sugestões, perguntas e se precisarem, podem me ligar no keitai: (080)5142-7945.

beijo beijo

2 comentários:

thais disse...

clap clap clap! tão difícil respeitar a hora das crianças, né? a gente quer que eles nasçam (e comam, durmam, andem, falem, desfraldem, escrevam, leiam, tomem banho sozinhos, lavem a louça, façam tudo sozinhos) na hora em que a gente quer, na hora mais conveniente, na "melhor" hora.

deixa eles, né.....

Rosana Oshiro disse...

pois é Thais, além de ser melhor para nós, com certeza nossos filhos agradecerão tambem né?

beijo

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!