12 de janeiro de 2011

Um tempo para cada coisa.

Quando eu lia/conversava sobre maternidade, durante a gravidez da minha primeira filha, sempre era a mesma coisa:
- Arruma um tempo pra você se cuidar, se divertir.
E eu pensava "que óbvio!".

Bom, acontece que ela nasceu. Linda, pequena, fofinha, tão apaixonante...... E eu fiquei doida! Não queria fazer nada sem ela. Dispensei todo mundo que se dispôs a ajudar (nem todo mundo com muita boa vontade, mas ainda assim) e decidi: eu vou fazer.

No começo, foi tudo lindo. Eu ficava com ela o tempo todo. Comia conversando com ela, tomava banho com ela me olhando, escovava o dente com ela no colo. Cansava, mas eu me sentia bem, feliz, independente, recompensada e mãe. Não me cansava de ficar com ela e pronto.

Quando eu engravidei do segundo, ninguém nem se dispôs a ajudar, porque, afinal, eu daria conta sozinha. E eu tinha a mesma certeza. Dei conta, mas fiquei muito chata. Perdi a paciência, tentei fazer criança dormir no berço sozinha, fiz de tudo quanto era coisa.
Adorava brincar com eles, mas também gostava de conversar com as (poucas) amigas remanescentes, de comer sem precisar parar, de ir ao banheiro e conseguir terminar de fazer o que eu precisava. E isso era impossível. Pouco a pouco, minha paciência foi se esgotando.

Nessa hora eu entendi a importância de arrumar um tempo para mim. Mas como? Quando? Ia deixar as crianças com quem? Impossível! Não podia ver um filme sem ser interrompida 15 vezes. Quando o final chegava, não lembrava nem sobre o que era.

Hoje, com o terceiro filho crescidinho (3 anos e meio, já!), eu estou conseguindo arrumar tempo para ver um filme, ler um livro, ler blogs com calma, jogar sudoku, fazer comida.
Fazer alguma coisa com calma, com tempo, porque eu gosto, porque me diverte, porque eu quero e, só por isso, é muito bom: a gente esvazia a cabeça, relaxa as tensões e consegue ser mais mãe.
Eu lembro que não conseguia ficar 15 minutos brincando com eles que ficava cansada, nervosa, torcendo para que acabasse logo. Hoje brincamos 15 minutos, depois eles me ajudam a fazer alguma coisa da casa, brincamos mais ou não, dormem cedo e não acordam mais e eu tenho tempo para mim.

Portanto, mulheres, arrumem um tempo para vocês: se vocês têm alguém que olhe as crianças para você por um tempo, aproveite. Se você não têm, não surte. Eu garanto que vai chegar uma hora em que eles te dão um tempo. Enquanto isso, aproveite do marido, das visitas, das babás....

4 comentários:

Tai disse...

Eu tô super receosa de ter mais filhos, só pelo trabalho que dão... ahahahaha
Mas fico imaginando que a partir do segundo talvez seja um pouco mais fácil, não? Porque o mais velho fica com o mais novo, e vice-versa, o que você acha????

thais disse...

Tai, a gente tem mais jeito com bebês, sem dúvida. Mas até o maior distrair o menor, leva uns 4, 5 meses. Durante esse tempo, a gente pira, mesmo.
Mas depois melhora e rápido.....

Daniela Carvalho disse...

Uau...vi minha vida aqui. kkkkkk. Por enquanto só tenho uma menininha, e dispensei todo o meu tempo nela, e confesso, não me arrepender nenhum minuto...mas na próxima gravidez, vou fazer o possível para arrumar um tempinho somente para mim! Tenho certeza que a relação familiar vai melhorar muito, com um nível de estresse menor...rs

Jamile disse...

Minha vida tb está aqui nesse post seu.
Nem sei se quero mais filhos pelo trabalho e o tempo exigidos de mim, pois meu marido viaja demais a trabalho e eu nao tenho nenhuma família por perto...sniff
Querida, obrigada por colocar o www.passeioscomcriancas.com no diretorio materna.
Grande beijo
Jamile

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!