11 de fevereiro de 2009

A minha amamentação!

por Franciely Tsuchiya



Existem muitas experiências e fatos sobre a amamentação, e a verdade é que quanto mais soubermos sobre o assunto mais saberemos como lidar com ele, trazendo para o nosso caso.
Cada uma tem uma experiência sem igual com o assunto amamentação, e quando contamos a própria experiência podemos estar trazendo uma ajuda, também sem igual, para alguma mamãe.
Então aqui vai a minha!

O início do amamentar é dolorido. Creio muito que o tipo de parto influencia, e o meu foi cesárea, trazendo a tão demorada hora de amamentar. Mas a ciência do corpo é perfeita em cada ser humano, e quando se trata de uma intervenção necessária, como acredito ter ocorrido no meu (não podemos confundir, a cesárea necessária é aquela que já foi tentado de tudo para um parto normal, como foi no meu caso 3 dias tentando, tendo diversos problemas (o coração de meu bebê não aguentava mais) e então sim precisa fazê-la), meu pequeno filho aguentou firme e como muitas crianças não sentiu vontade de mamar a primeira noite inteira, só queria dormir.
Na decida do primeiro leite, o tão famoso colostro (amarelinho e muitas vezes super claro) os meus seios queimaram muito, mesmo sem saber eu assimilei à uma sensação de ter colocado silicone, pois ficam duros, parece que vai explodir, doloridos mas com a diferença de vazarem, é uma sensação estranha com certeza.

Depois, em casa, tem aquela rotina de como alimentar a criança. Devo confessar, é uma batalha cheia de obstáculos e não o que muitas vezes pensamos sem conhecer. E uma coisa é certa, se cultivarmos a amamentação e à dedicação que isto envolve, não será necessária uma preocupação futura (falta de leite, bebê com fome, gastos com leites duvidosos e até uma possível doença pela falta do leite materno ou excesso do leite em pó, e muito mais coisas, são muitas as consequencias).
Eu ganhei uma lata de leite em pó da clínica. OBS: Procure saber tudo sobre amamentação para, ter o empoderamento para, negar isto e até mesmo ensinar pessoas. Eu não sabia e é extremamente importante!
Eu usei uma mamadeira (com o pó ganhado) pois achei ser bom para o meu filho. Na minha cabeça o completo seria bom, ele saber e acostumar com a mamadeira seria bom. OBS: Nunca faça isto! Se você puder evitar agora, o faça! Se você já o fez, regrida! É um aviso importante, você entenderá do que estou falando!

Por quê só amamentar (peito da mãe e só)?
Já foi comprovado que o ser humano não precisa de outro leite senão o materno. Depois cresceu, não precisa mais de leite. Pelo hábito, pelo idealismo, opte pelo leite de soja!
Também já é comprovado os malefícios, tanto para a mãe como bebê e criança, da não amamentação. Até o afastamento entre pais e filhos (existe muito em mães que não amamentaram e não criaram este laço) e diversas doenças pode se curar (corrigir hoje) com uma fase importante como esta.
Queira uma humanidade mais saudável!

Todo o momento que eu fui "contra" (sem saber) à amamentação, eu lutei e corrigi!
Não amamentar é complicar a própria vida, pois amamentar é economizar, é dar muito mais amor, é TER QUE TER paciência (e isto é precioso para criar filhos pacientes), é eliminar chupeta, mamadeira, e principalmente é ACEITAR O PAPEL DE MÃE.

Amamentar é uma escolha da mãe e quando ela não se esforça, não consegue. E quando apela para outra coisa, perde o leite que corre nos seios (lembrando que eles foram feitos para isto).
Mãe que pensa que está agindo bem, deixando a criança (sem mamar o leite que ela têm direito e precisa) para trabalhar. Com certeza pagará o preço depois (criança assim, tende a ser doentinha e super carente).

Minhas fases
A primeira de acordar a noite inteira para amamentar. OBS: Ajuda muito dormir durante o dia, nos tempinhos que o bebê dorme, assim não cansará levantar a noite.
O ideal é a cama compartilhada com seios disponíveis para o bebê. Ele mesmo mama e desmama a hora que quer. Mamãe só acorda para mudar de lado (você e bebê).
A segunda foi do meu bebê dormir a noite toda, isto de 1~6 meses. Mamava muito de dia e a partir de eu sentir que ele já queria comer (7 meses) comia 2 refeições (almoço e janta) e fora isto mamava muito o tempo todo. Com 6 meses começei a dar água o tempo todo, depois do peito.
Hoje com 11 meses ele não quer comer e só mamar novamente. O cocô voltou a ficar mole. Passa o tempo que quer no peito mas também come uns belisquinhos, toma água, ofereço água de côco, biscoito de verduras (tem no Japão), sempre algo saudável quando vou comer. Mas é como se regredisse de repente. Acorda a noite para mamar, dorme de pouco em pouco.
Ele tem somente 2 dentinhos em baixo (muitas crianças tem mais) e em cima agora começou a abrir 4 de uma vez, sendo o ao lado do da frente (esquerdo) primeiro (já aparece).

Enquanto a criança não aprende a ser dependente (andar sozinha, falar para se expressar o que quer) ela precisa de sua mamãe por perto. É o ideal!
E na maioria dos casos, isto só acontece quando ela deixa de mamar (com mais de 1 ano de idade já dá para conversar com a criança e ensiná-la que já está crescida e forte). É como um filhote pássaro que aprende a voar. Mas só ela sabe o quanto precisa ainda do seu leitinho mamãe. Cada caso é diferente mas todo filhote é pequeno!

Passo meu caso para que as mamães se encontrem.
Muitas mamães com seus pequenos já bem crescidos, provam que amamentar o bastante fez a diferença. Uma linda e incomprável diferença!
Não basta ser mãe... tem que PARTICIPAR!

A solução de homens e mulheres de sucesso pode estar nas mãos daquela mãe, que delegou o cargo de alma e CORPO! PRESENÇA É TUDO!!!

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!