29 de maio de 2009

Instinto Materno

Fiquei pensando aqui sobre o que escrever para participar da promoção! Meus partos foram cesáreas, não dá! Sobre a amamentação? Seria legal! Dessa última vez tive até mastite com 9 meses de amamentação!!! Teria feito muitas desistirem, mas aqui estamos muito bem por quase 1 ano e 5 meses! Aí me lembrei da frase: “que tenha como tema a maternidade e que possa "auxiliar" outras mães que lêem o blog.”

Fiquei pensando em como a maternidade me transformou. Sim, eu sei que ela sempre transforma, mas acho que me expressei mal! Fiquei pensando em como fui me transformando cada vez que fui mãe!

Quando fui mãe a primeira vez eu queria fazer tudo certo, ouvir a opinião de todos (lembrando que naquela época a internet não estava em qualquer lugar e por isso eu não tinha), ouvir o pediatra como quem ouve a Deus e seguir a risca os conselhos de vovós experientes!!! A Luiza chupou chupeta com 3 dias de vida. Tomou mamadeira com 1 mês (mas foi amamentada até 7 meses). Dormiu no seu próprio quartinho desde 1 semana de vida! Aprendeu a dormir sozinha com 7 meses depois de chorar no berço por quase 2 horas (como ensinavam os livros, pois era bom o bebê ter independência). Era mais carregada no carrinho do que no colo, pois colo demais faz mal!!! Algo me dizia que algumas coisas não estavam certas, mas eu não sabia o que era esse “algo”.

Aí fui mãe pela segunda vez. Mais uma vez eu queria fazer tudo certo. Amamentei e não dei mamadeira até quase 10 meses, quando o pediatra disse que o leite do peito estava fazendo o Henrique não aceitar comida! Tirei o peito do meu bebê de um dia para o outro. Ele chupou chupeta com 3 dias de vida! Dormiu no seu quartinho sozinho, pois era um bebê com certa independência!!! Era pouco carregado para não ser mal acostumado! Muitas vezes algo me dizia que alguma coisa não estava certa, mas ainda eu não sabia o que era esse “algo”.

Aí fiquei grávida pela terceira vez! Internet em casa o dia inteiro. Isso não significa que tudo o que se lê na internet esteja certo, mas é uma grande ferramenta de busca e filtrando bem podemos aprender muito! Buscado sobre partos encontrei um grupo de mães que pensam diferente! Ops! Acho que me achei! Apesar de algumas coisas não terem acontecido como eu desejava e de eu ter comprado duas chupetas, três mamadeiras e um esterilizador de mamadeiras o Pietro está sendo criado diferente!

Ele não chupou chupeta. Eu até tentei dar, mas algo me dizia que não era por aí que eu deveria seguir. Eu comprei uma lata de Nan e tentei dar para meu bebê quando achei que meu leite estava acabando, mas algo me disse que eu tinha leite sim, e que meu corpo era capaz de nutrir o filho que gerei! O Pietro ficava e ainda fica o dia inteiro no colo, slingado, bem pertinho pois algo sempre me disse que bebê não deve ser independente senão teria nascido tartaruga marinha e não humano!!! O Pietro mamou no peito exclusivamente até os sete meses e meio quando se mostrou pronto para comer outros alimentos e algo me dizia que estava certo o que eu estava fazendo! O Pietro dorme juntinho dos pais, bem aconchegado pois algo me dizia que bebês precisam dessa proximidade.

Dessa vez eu não ouvi pediatras, não ouvi vizinhas, amigas nem vovozinhas experientes. Dessa vez eu resolvi seguir o “algo” que falava dentro de mim desde que fui mãe pela primeira vez. Dessa vez eu descobri que o “algo” sempre esteve certo. Descobri que seguindo o que o “algo” diz as coisas ficam muito mais fáceis e eu acabava acertando muito mais do que errando.

Acho que o que mais me ajudou nessa ultima vez que fui mãe foi que descobri que toda mãe tem instinto materno. Descobri que o “algo” que sempre me falou era o meu instinto que eu sempre tentei negar. Dessa vez meu filho foi criado pelo meu instinto e não pelos sábios de plantão! Dessa vez eu acreditei em mim como mãe e acredito que toda mãe deve sempre seguir seus instintos. Toda mãe deve acreditar em si mesma! A mágica de gerar um filho trás junto um presente divino que é o instinto materno! E como todo presente divino, não pode ser negado!


Eu com Pietro no colo, Henrique e Luiza! Ah! E o vento bagunçando os cabelos!
Também escrevo no http://coisinhasdemae.blogspot.com

3 comentários:

Aika disse...

Ola!!!Lindo seu texto!Essa coisa de instinto eh algo muito forte e valioso mesmo.Se toda mulher tivesse confianca em si mesma e seguisse esses instintos tanta coisa poderia ser diferente,tantos problemas e traumas seriam evitados!!!!

JOsenlda Alves disse...

Ahhhhhhh, que texto lindo.
Que bom que você ouviu os seus instintos.
Eu também ouço os meus. Leio muito, pesqueiso muito, mas no final, sempre sigo o que meu coração manda.
Ouço muita coisa sobre a rotina do meu bebê.
Meu marido deu chupeta a ele logo cedo - tirei com 1 ano!
Ele tomou mamadeira após os seis meses - tirei e jouei-as fora quando ele completou 1 ano!
Ainda hoje escuto comentários do tipo: criança deve tomar um mingalzinho pra se desenvolver bem. (ou) Dê mamadeira de mingal a ele enquanto ele dorme, assim ele fica mais forte (enquanto dorme??? coitado!). Ou ainda: toda criança precisa de um mingalzinho pra complementar a alimentação...
Sabe o que faço? Sigo meus instintos. Não dou mingal, não dou mamadeira. Não entupo o pobre de comida quando ele dorme. E o resultado disso tá ali, lindo, forte, saudável feliz.
Graças a Deus.

Simplesmente Elisa disse...

Adorei essa da tartaruga marinha! rs E concordo plenamente!
Tambem achava que bebes tinham q conquistar a independencia logo cedo mas depois que minha filhinha nasceu vi que nao era bem assim ai resolvi jogar pra cima todos os conflitos de opinioes e seguir o que meu coracao mandava. Bem, ate hoje nao tive nenhum problema gracas a Deus!

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!