30 de outubro de 2008

Franciely Tsuchiya - Mie



Antes de tudo, não, meu parto não saiu como o planejado!
Mas foi MARAVILHOSO!

Será que eu posso dizer que uma cesariana é plano B ?
Acho que no meu caso só não a considerei plano Z, porque foi HUMANIZADA!

Na verdade meu relato tem uma história extremamente longa mas que pode ser contada em pouco tempo e com poucas palavras, os detalhes foram maravilhosos e muito importantes pra mim, mas isto não vem ao caso, o que quero passar é a história em si, e dizer como foi comigo, como tudo aconteceu.

Então vamos lá:

Passei a noite inteira tendo contrações leves, a primeira que não me deixou mais dormiu ocorreu 7 horas da manhã, e assim foi se sucedendo.
Todos sabiam que eu queria ter o bebê em casa de parto normal (diferente de vaginal, que o bebê passa pelo canal mas podem existir diversas intervenções, assim deixando de ser normal).
Então fui preparar (toda feliz, conciente, confiante e determinada) o kit parto, a casa, a banheira, enfim, tudo!
E assim eu passava o tempo, num clima maravilhoso (velas cheirosas para todo lado) e entre banhos, imersões, concentração e bola suíça.
Tudo estava sob controle e eu conseguindo passar por todas as contrações numa boa, às vezes algumas muito forte e outras (quando estava no chuveiro) quase que imperceptíveis, mas não dei um gemido se quer, não sei, não é meu estilo, não conseguia gemer, só respirava, contava, agachava e esperava passar. E a cada contração um sorriso a mais: - Ufa! Uma a menos! hehe Mas totalmente ciente de que o processo demora e que eu não deveria ter pressa, ok resolvi relaxar, me entregar e assim foi.
A cada chuveirada um exame de toque, no começo felicidade em sentir o colo do útero se abrindo e chegar ao terceiro centímetro, depois a infelicidade de não sentir a evolução.
As horas foram se passando e eu já estava um dia e uma noite inteira com as contrações e os (só) 3 centímetros de dilatação.
O Maurício sempre por perto, mas não muito, preferia me isolar para concentrar melhor. Mas ele sempre me servia umas migalhas (porque quem consegue comer nestas horas, né?! rs) e bebidas leves e nutritivas, além de me dar todo o suporte e já ter faltado um dia de trabalho, e ah! Cansado, muito cansados (nós).
E aí que passei para o segundo dia e noite inteiros e nada de mudar o corpo.
Gente, eu fiquei QUARENTA E CINCO HORAS (45 hs) em casa e nada do bebê apontar a cabeça. Eu juro que se ele aparecesse eu ía entrar na banheira e expulsar, mas hãn, NADA! * rs*
Depois disto resolvi ir pra Clínica, mas olha, confesso que fui vencida pelo cansaço, já era o terceiro dia sem dormir... impossível! E ainda com dor, quem consegue?? hehe
Mas estava tudo extremamente suportável, numa boa, pelo menos pra mim. Mas eu vía que o Maurício estava beeem preocupado e ainda faltando serviço, né! E se o bebê demorasse mais alguns dias, aff! hehe

Fora do meu lar eu realmente não consegui suportar igual. Se a cada contração eu pudesse fazer meus métodos como havia feito até então, tranqüilo! Mas na clínica há um termo de responsabilidade com o paciente e eles precisam monitorar os batimentos cardíacos do bebê.
Foi aí que começou a ficar difícil, deitada, cheia de treco é impossível suportar. Eu sentia que me abalava e com isto estava abalando o bebê, o coração dele foi ficando fraco (e eu sabendo o porque... era aquela máquina).
Bom, minha médica me deu 2 opções: Ou cesária e acabou! Ou induzir o parto, dobrando o sentimento da dor e mesmo assim a incerteza da dilatação para a expulsão (só que com aquela dor naquela máquina o bebê já estava em perigo então optar por esta seria esperar nascer e interná-lo).
O Maurício me pediu cesária, disse que já havíamos feito de tudo e que não tinha mais que provar nada! E meu medo de perder nosso primeiro filhinho!
Ok! Lá fui eu para a cesária e fim da história! hauahuaua

A Cesária:
Estou no Japão e não esqueçam do problema com o idioma, né?! hehe Então!
Minha clínica é ótima, só mulheres e por isto escolhi aquela. Conversar sobre medicina em japonês fica bem difícil, por isso resolvo tudo em inglês com minha médica (ainda bem que ela é chique e fala inglês... he).
Me senti sem opção e pressionada a esta opção, então resolvemos humanizar!
Meu bb não foi aspirado e já foi levado direto pra mim saber o sexo e beijá-lo!
Após semi-limpo... he ele foi entregue nas mãos do Maurício que já o levou direto pro quarto, pra nós!
Logo atrás fui eu com a cama que já ficaria no nosso quarto!
O corte foi super pequeno, na horizontal e sendo a última camada colada e usados grampos que tirei em 5 dias, ficou ótimo e já está desaparecendo!
Deixei a Clínica em 3 dias! Hj meu filho tem 8 dias e perdi 10 kilos! hehe

OBS: Meu bb nasceu de 42 semanas e 3 circulares de cordão (ao redor do pescoço)!
Fiquei 56 horas em trabalho de parto com apenas 3 centímetros de dilatação.
Eu ainda continuo sem entender o porque não abri! hehe
E ainda acho que todas as mulheres deveriam ter parto normal e que optar pela
cesária é facilitar pro lado da mãe... mas olha meu caso! Hãn!
Sem mais comentários!!! haha

Fran com carinho

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!