23 de janeiro de 2009

Kelly Keiko Yamada - Kanagawa



Toda minha gravidez foi tranquila, não vomitei, não tive caimbra, não tive inchaco, nada de nada. Somente aos 7 meses descobri que era menino, comecei a pesquisar sobre parto, dores, ver videos, fotos, relatos sobre parto. Nesse hospital o parto é humanizado, eu nem sabia o que era isso! Dai conheci a Rosana, que me auxiliou bastante nesses assuntos com sua experiencia e paciencia…

No final da gestacao comecou o periodo de ansiedade,o bebe estava “alto”, não havia contração nenhuma, nem dor, nem dilatacao do colo do utero. Na 36 semanas o medico passou uma pomada para afinar o colo do utero e nada. Na 38 semanas tambem nada. Estava chegando o feriado de Dezembro, ele esperava até 42 semanas, mas o medo de uma possivel cesaria comecou a me apavorar. Na 39 semana ele colocou um tipo de “tampão” que entra pequeno e se dilata lá dentro, fazendo com que o colo do utero se afine e dilate. Isso foi numa Quinta-feira, voltei pra casa arrasada, preocupada. Na sexta limpei a casa toda,andei o dia todo.Comecou a sair o tampao mucoso.Sabado continuava saindo,me animei e andei por umas 2 horas, limpei a casa toda de novo, tomei sopa de cabrito com gengibre, chá de canela e a cada dorzinha que sentia me animava toda pensando: Venha dor, venha dor, porque quero parir naturalmente…

No Domingo acordei e NADA, estava super bem, nada de dor, nem de contracao… me bateu um desanimo, um sentimento de incopetencia, sera que nao sirvo pra parir?? Me perguntava...
Comi muito o dia todo e a noite toda, achava que era ansiedade, mas depois me dei conta que ja era meu organismo se preperando…

Segunda-feira, ás 7:30 da manha minha bolsa estourou, assim, do nada, estava sentada e quando me levantei,ploc! Meu marido ainda estava em casa e comecamos a nos preparar…
Verifiquei a cor do liguido, e não era escuro. Fui tomar banho, liguei pra Rosana pra saber das ultimas coordenadas, mas passado algum tempo fomos pro hospital, por causa da ansiedade e inseguranca. Não tinha dor, nem contracoes regulares. Chegando no hospital, estava com 4 cm de dilatacao e fui internada. Ficamos instalados no quarto,levei a bola de exercicios, andei o hospital inteiro, subia e descia as escadas, me serviam as refeicoes normalmente, umas duas vezes colocaram aquela cinta pra monitorar o coracao do bb, mas era por meia hora e podia ficar sentada na bola, nao precisava ser deitada. Não colocaram soro em nenhum momento, só me deram um remedio para tomar pra evitar infeccao. Assim fiquei o dia todo e a noite toda, de boa, nada de dor.

De madrugada começaram as dores, contracoes de 5 em 5 minutos. Foi a madrugada mais longa da minha vida, meu marido junto, coitado, fazendo massagem nas costas. Nos levaram pro outro quarto, mais proximo da sala de parto. La ja estava tocando musica classica, tomei banho pra ver se amenizava, mas logo desisti de ficar debaixo do chuveiro, por causa do vapor que ja estava me dando agonia…

Café da manha e nada de mais dilatacao. Estacionou nos 7cm...Estava com 24 horas de bolsa rota, e começaram os telefonemas, todos preocupados com isso, o bebê ta no seco, sera que esta certo isso? Comecamos a nos preocupar, mas as enfermeiras explicaram que a cabeca do bebê encaixou e serviu de tampa ,dai voltou a encher de novo, que não tinha problema e além do mais o coracao dele estava bem e a mãe estava bem. Temos que esperar.
Almoco e 8cm de dilataco. Nessa hora eu ja não conseguia comer, tomava muita agua. Minha irmã chegou pensando que ja tinha nascido e meu marido aproveitou ir em casa descansar um pouco.

As 14:00 comecei a sentir o tal “puxo”, que vontade incontrolavel de fazer forca, a tal “forca de coco”… Dai já não estava mais raciocinando direito, lembro que eles me arrastaram para o quarto de tatami durante o intervalo das contrações, e que não deu tempo de chegar lá e tivemos que parar no meio do corredor, mandaram eu fazer xixi e começaram a arrumar tudo para a grande hora. Quarto de tatami, luz baixa, musica classica tocando, uma corda pra me pendurar caso eu quisesse parir de cocoras. Tentei várias posições, mas acabei ficando de quatro mesmo, com um edredon debaixo da barriga para apoiar. Mordia uma toalha, quando vinham as contracoes. A enfermeira o tempo todo me ajudou, protegendo “lá embaixo” pra não machucar e pra não dar hemorroidas. Outra fazia massagem nas costas e segurava minha mão. Meu marido ajudava a me segurar,minha irmã tirava fotos, me abanava e me dava agua. De repente, no meio de tantas dores, escuto vozes familiares… da minha irma mais velha, da esposa do meu sobrinho, chorinho da Sarah- minha sobrinha de 1 ano e meio, meu outro sobrinho de 5 anos… Pensei: poxa, to com tanta dor que ja estou delirando…to vendo todo mundo aqui!!! Mas na verdade estavam todos lá, chegaram pra visitar e me pegaram no final do parto, dai as enfermeiras mandavam entrar, porque nesse hospital a familia pode assistir se quiser. Meu parto parecia uma festinha:era crianca correndo pra cá, eu gritando de dor, uma tirando fotos, as enfermeiras apostando com meu marido como seria o cabelo do bebe…
Quando a cabeca estava coroando, meu marido foi ajudar as enfermeiras, ele que segurou o bebe quando saiu!!! Incrivel, eu achei que ele não fosse aguentar ver ate o final mas ele parecia o medico! Quando nasceu, escutei só um chorinho e todos dizendo:como ele eh lindo! Já estava com olhos abertos!!!

Me ajudaram a me virar e fomos por fim apresentados. Eu fiquei totalmente sem reação, nem chorei, nem nada. Ele também, ficamos nos olhando…a ficha ainda não havia caido! Aquele bebe, daquele tamanho estava dentro de mim! Colocaram ele em cima de mim pra esquentar e mamar, ainda com o cordao pulsando, depois chamaram meu marido pra ajudar a cortar. Esperamos a saida da placenta.

Um tempo depois me limparam, me vestiram e fomos pra outra sala pro medico me examinar e ver a situacao “ la embaixo”. Gracas a Deus, nada de hemorroidas nem de estragos maiores…hahahha O medico disse: tem um machucado aqui que se voce quiser deixar mais bonito vamos dar um ponto. Sem anestesia,porque é só um ponto. Ok, e la vou eu de novo gritando…hahahha Sim, gritei o parto inteiro, a cada contração!

Ao meu lado estava o meu marido e a enfermeira fazendo checagem no bebe, contando os dedos, mostrando o pipiuzinho, pesando e medindo…

Fomos pro quarto de tatami de novo, agora ja estava tudo arrumado, minha refeicao ja estava la e eu só pensava em comer! Todos ainda estavam lá, rindo, conversando sobre o parto, tirando fotos do bebe. Aos poucos todos foram embora e ficamos só nós tres. A nova familia!

Dai eu me toquei que havia algo me incomodando. Musica, aquela musica estava tocando no minha cabeca durante horas e ja me lembrava dor. Hoje não penso em escutar Bethoven. Pedi pra desligarem aquilo!!!!!!! No inicio eu me empolguei e pensava, nossa que chique que eu sou, tem musica no fundo…hahahaha

Depois ficamos só eu e o Breno. Só ai que chorei. Chorei de alegria por ter dado tudo certo, chorei de emocao ao reparar em cada detalhe do corpinho dele. Sei que não teria dado conta se não fosse o apoio e amor do meu marido e depois da minha irmã. Não teria o parto que planejei sem a ajuda de toda equipe do hospital e principalmente do meu medico, que sempre acreditou na minha capacidade de parir naturalmente. Da Rosana Oshiro e todas as meninas do grupo materna. Obrigada a todos.

Ps: Dor? Doi mesmo, mas acreditem, hoje fazendo esse relato ja não consigo descrever as dores. Logo se esquece. Expulsão? Hora que o bb sai não é nada comparado ao cansaco das contracoes. O mais longo e doloroso são as contracoes ate alcancar os 10 cm.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!