31 de janeiro de 2009

O que você faria diferente no próximo parto?

por Rosana Oshiro

Escolher entre o parto normal ou a cesarea é hoje uma opção para a maioria das mulheres de classe média em qualquer lugar do mundo, inclusive aqui no Japão, infelizmente.

Existem médicos inclusive que já fazem cesareas totalmente desnecessárias nas brasileiras por comodismo e conveniencia.

O fato é que não é só o tipo de parto que faz a gente se tornar mãe, mas existem mais uma série de fatores/escolhas que fazem muuuuita diferença no nascimento de um bebê.

Para quem não sabe, eu passei por duas cesareas totalmente desnecessárias:
- a primeira por despreparo, ansiedade e medo por ter passado das 41 semanas de gestação
- a segunda por não ser respeitada, nem apoiada ou estimulada a continuar o trabalho de parto que já havia chegado a 8cm dentro de um hospital.

Minha segunda cesarea foi um difusor de águas para mim, eu tinha toda a informação do mundo e sabia que era totalmente possivel o parto normal, mas não aguentei a pressão externa da familia e dos amigos para ir logo para o hospital, aceitei tudo o que eu não queria e acabei sofrendo intervenções desnecessárias e no final das contas implorando a cesarea.

O passado não da para mudar, mas o futuro sim. Depois de passar por duas experiencias de parto "frias", eu resolvi ser a protagonista da minha estória e do meu parto porque aconteceram várias coisas que ficaram entaladas na minha garganta por um bom tempo. Elas foram:
= ( meus filhos nasceram e eu estava dopada e amarrada, não pude sequer beija-los
= (( meus filhos nasceram e foram aspirados, receberam colirio de nitrato de prata (que fez seus olhinhos arderem), foram esfregados sem dó e logo receberam uma injecção de vitamina K como boas vindas
= ((( ficaram com pessoas desconhecidas, foram chorando ficar num berço de plastico aquecido, quando poderiam estar no meu colo quente e amoroso
= (((( seu primeiro alimento foi agua glicosada, quando poderiam ter sido amamentados pelos meus seios cheios do melhor alimento para eles, o colostro
= (((( ficamos, eles e eu, mais de 12 horas separados e desconectados sofrendo desnecessariamente

Fora isso, tive dor por vários dias por causa do corte da cesarea, alergia da anestesia, utilizei sonda, tive que tomar antibioticos por varios dias, tive problemas no inicio da amamentação e uma profunda depressão pós-parto.

Sim, tudo isso poderia ser diferente e eu fui a luta, eu sabia que não me bastava confiar em médicos e hospitais, mas era preciso acima de tudo acreditar em mim e QUERER DE VERDADE ser protagonista da minha história e do meu parto.

Eu tive uma terceira gestação acompanhada por um médico e uma parteira e optei por um parto domiciliar que ocorreu com 42 semanas de gestação. Um parto tranquilo, onde fui apoiada, encorajada, abraçada, animada e vivi o parto intensamente e, poderia até dizer, prazeirosamente.

Eu pude curtir meu filho logo após o nascimento, pude beijá-lo, abraça-lo, amamenta-lo e me sentir mulher e perfeitamente capaz de parir.
Eu pude comer durante o TP e logo após ele, pude chorar e gritar de emoção sem ser advertida ou reprimida.
Eu pude fazer o que eu queria, eu me conduzia, ERA A PROTAGONISTA DA MINHA HISTORIA!

Depois disso tudo, de toda essa alegria e emoção de parir, o que eu fiz diferente no próximo parto? NADA!

Tive outro parto em casa (dessa vez unassisted porque não consegui parteira) e foi novamente alegria, prazer e emoção!

Além disso tudo, pude perceber a diferença de ter um filho "arrancado" brutalmente de dentro de mim e outro nascido tranquilamente no SEU TEMPO. Hoje vejo a diferença que isso causou no comportamento e confiança deles a cada dia.

O que eu quero dizer com tudo isso?
Quero dizer que toda mulher é capaz de se empoderar e correr atrás, não só do seu parto, mas do seu direito de parir em paz, de não ter que passar por intervenções desnecessárias, (nem seu bebê) nem de pressões e repressões, nem que para isso ela tenha que parir fora do hospital.

Eu defendo o parto domiciliar, sou totalmente a favor!
Cada mulher deveria ter essa opção para o parto de forma consciente, porque que é seguro, já está mais do que provado que é!

Eu escolhi ser radical com minhas escolhas, porque para mim foi melhor assim!

Mas e você, já teve um parto? Ficou satisfeita e feliz depois dele? Porque? O que você faria diferente no proximo parto?

5 comentários:

Fanynha disse...

eu faria tudo diferente Ro...correria mais atras,tentaria mais, esperaria mais, e com certeza procuraria uma doula, uma amiga pra estar mais perto e me ajudar...e com certeza confiaria mais em mim....Mas na minha proxima gravidez A Ro vai ser minha doula....neh Ro!?!??!rsrsrsrsrss

Rosana Oshiro disse...

Serei sua doula sim Fany, pode acreditar! {=D
Vc só vai para o hospital com o bb coroando! hehehehe

bjo

thais disse...

Eu tive 2 partos domiciliares, mas mesmo assim, teria coisas que eu faria diferente, como, por exemplo, tentaria uma banheira, mesmo que tivesse que tirar o sofá da sala; teria unassisted; comeria no tp (e teria um estoque de sorvete PINO. hauahauahau).
ai ai...

beijo

Marisa Tiyoko disse...

Eu acho q alem do comodismo dos medicos aqui no Japão, o q conta tbm é muito despreparo, se no Brasil os medicos fazem por comodismo e total controle da situação, aqui eles ja se perdem com algo q foge ao controle deles, eu ja percebi q aqui eles seguem rigorosamente a cartilha q aprendem, são como cavalos com aquelas coisas nos olhos p não verem ou tentarem algo mais, se é ensinado p os japas q 2+2=4 p eles é assim ou assim, não existe outra forma de ser, não são ousados, não tem coragem d tentar diferente, e digo isso não só na medicina, mas em todas as areas em toda a maneira deles viverem a vida, não mudam uma virgula de lugar por não saber como agir sem ela...
Meu parto foi cesarea contra minha vontade, só q alem da minha vontade tem a vontade do marido e pressão da familia, e agora analisando o caso acho q uma doula ajudaria muito, não só no apoio a mulher mas no esclarecimento principalmente do companheiro e familia, acho q precisamos de mais doulas ou alguem q possa esclarecer bem as duvidas!
Na clinica ond fiz meu parto tem a tsuyako(tradutora) q acho q nem curso d enfermagem tem, o q acho errado pq tem muita coisa q ela fala sem saber como funciona, é como uma maquina traduzindo o q o medico diz ao pé da letra, ela por exemplo podia ser uma doula, ja q ela acompanha todo o processo desde o começo até o parto e depois nas consultas pós parto tbm! Claro q tbm teria q ter o entendimento dela com os medicos do lugar, mas poderia dar bastante conselhos p as mãe ou futuras mamães com total conhecimento da causa! Sem ser aquela coisa d "Ah o medico falou isso ou aquilo então é assim q funciona mesmo..."
Pode parecer precipitado, mas ja penso em meu proximo parto( meu bb tem só 2 meses), não p agora mas p daqui uns 2 anos, e quero muito fazer tudo diferente, ja tenho falado algumas coisas p meu marido mas ele tem medo d algumas coisas, qnd eu resolver q chegou a hr d pensar em outro bb vou procurar tudo o q puder p me ajudar a ter um parto normal, da maneira mais natural q eu aguentar rsrs
É tudo o q mais quero ver um filho meu nascer...

hayla santos disse...

Olá,no meu primeiro parto por ansiedade,por medo pois tive sangramentos durante a gravidez e muitas dores, então achei q no hospital estaria bem amparada,mas qndo cheguei lá vi q não seria isso...eu estava com 2cm de dilatação,a enfermeira disse q era pra eu ficar só do lado esquerdo, depois de 1hora fui colocada no soro, depois de 3hora o médico estourou minha bolsa depois de 1hora fui pra sala de parto com contrações irregulares, a enfermeira raspou meus pelos pubianos q estavam bem aparados, depois fiz força e nada, a enfermeira subui em cima pra empurrar minha barriga, não resolveu e o médico decidiu fazer uma episiotomia gigantesca...Depois de 17minutos minha filha nasceu...eu estava zonza,esgotada fisicamente e mentalmente,depois de quase 2 horas é q levaram a minha filha pra eu dar de mamá...O pós parto foi horrível, eu tinha dores horríveis, não conseguia ir evacuar de tanta dor...Já do meu segundo filho eu falei q iria só qndo a bolsa estourasse, e foi o que eu fiz...isso pq a bolsa estourou as 3da manhã e sós as 5:30, as 5:55 a enfermeira fez o toque e eu já tava com 6cm, omédico nem estava lá,a enfermeira disse que o chamaria as 6:20 q daria tempo,mas não deu , sem soro ,sem médico, sem raspagem, sem episiotomia as 6:25 da manhã do dia 24 de dezembro de 2011 meu filho nasceu.A enfermeira só o segurou na hora q ele saiu eu tive ele praticamente sozinha e foi a melhor coisa da minha vida...Tive uma pequena laceração q parecia q nem havia tido, tive uns pontinhos e só, a recuperação foi quase q imediata e eu não estava cansada, nem tive tontura, nem dor de cabeça, nem dificuldade pra evacuar.A diferença de um parto para o outro foi gritante, bom e foi isso,adorei seu post...

Postar um comentário

Obrigada por contribuir com seu comentário!
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
Se você tiver alguma pergunta pertinente ao tema do post é mais rápido e fácil ligar para 080-51427945(Japão).
Estamos dispostas a ajudar no que for preciso!